domingo , 19 setembro 2021
Home / Noticias da Região / Preço da casa própria fecha julho com maior alta mensal em 7 anos

Preço da casa própria fecha julho com maior alta mensal em 7 anos

Os brasileiros que pensam em realizar o sonho da casa própria não têm muitos motivos para comemorar, já que o preço médio dos imóveis construídos abriu o segundo semestre com a maior alta mensal desde agosto de 2014, segundo dados do Índice FipeZap, que acompanha a variação do metro quadrado nas 50 principais cidades do Brasil.

De acordo com o índice divulgado nesta quarta-feira (4), o preço médio de venda de imóveis residenciais ficou 0,64% mais caro em julho. O número, que corresponde à maior variação percentual desde os 0,68% de agosto de 2014, mantém a trajetória de alta do indicador.https://47d6be6e13b96bc5f6408a9d3215d542.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Com a movimentação, o preço médio do metro quadrado construído no Brasil subiu para R$ 7.702. Assim, para comprar um imóvel padrão, com 65 m² e dois quartos é preciso desembolsar, em média, R$ 500 mil.

As recentes variações correspondem ainda a uma alta nominal acumulada de 2,82% nos sete primeiros meses de 2021 e de 5,13% nos últimos 12 meses. Em ambos os casos, a variação apresentada pelo indicador é inferior à inflação oficial calculada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para o período.

A alta nominal do FipeZap em julho foi impulsionada pelas variações de preço registradas em 15 das 16 capitais monitoradas, com destaques para Vitória (+2,74%), Curitiba (+1,79%), Goiânia (+1,75%), Florianópolis (+1,60%), Brasília (+1,59%), Fortaleza (+1,18%), Manaus (+1,14%) e Porto Alegre (+0,98%).

Municípios

São Paulo lidera como m² mais caro do Brasil

São Paulo lidera como m² mais caro do Brasil

ARQUIVO/AGÊNCIA BRASIL – 12.1.2004

Entre todas as cidades verificadas, São Paulo (SP) ultrapassou o Rio de Janeiro (RJ) como o local mais caro para se comprar um imóvel, com o preço do metro quadrado na casa dos R$ 9.569.

A liderança do índice ocorre com a variação de 0,42% dos valores na capital paulista ao longo do mês passado. Ao mesmo tempo, a alta verificada na capital fluminense foi de 0,21%, o que faz o preço médio dos imóveis anunciados na Cidade Maravilhosa chegar a R$ 9.565.

Na terceira colocação do índice, Brasília (DF) se manteve mais uma vez na frente de Balneário Camboriú (SC), Florianópolis (SC) e Itapema (SC) com o preço médio do metro quadrado construído estimado em R$ 8.469, contra R$ 8.278 e R$ 8.027 das cidades catarinenses.

Vitória (ES) completa a lista de cidades com o preço médio do metro quadrado mais caro do que a média nacional. Na localidade, cada espaço mínimo de terra sai por, em média, R$ 7.866.

Na outra ponta do índice, a cidade de Betim (MG) segue com o metro quadrado mais barato do Brasil, de R$ 3.077). O município mineiro é seguido por São José dos Pinhais (PR) e Pelotas (RS). Nos municípios, cada espaço mínimo de terra está avaliado em R$ 3.670 e 3.727, respectivamente.

Fonte: R7

Veja Também

Novo curso gratuito de Aromaterapia tem vagas abertas

A Prefeitura de Jarinu, em parceria com o SEBRAE, abriu inscrições para o curso gratuito de Aromaterapia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *