Home / Destaque / Nistagmo: doença oftalmológica de cantor do Black Eyed Peas afeta 1 a cada 1.000 pessoas; saiba mais

Nistagmo: doença oftalmológica de cantor do Black Eyed Peas afeta 1 a cada 1.000 pessoas; saiba mais

A banda Black Eyed Peas se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter no Brasil após uma usuária revelar que havia descoberto que um dos integrantes, o cantor Apl.de.Ap, era cego, algo que ele havia contado em uma entrevista em 2011.

Na verdade, o músico, que se chama Allan Pineda Lindo e tem 47 anos, era considerado legalmente cego nos Estados Unidos por ter nistagmo, uma condição oftalmológica que, entre outras coisas, dificulta a visão de longe.

Após uma cirurgia realizada em 2012, ele conseguiu ver com mais nitidez as coisas a mais de 10 m de distância.

“Eu me sinto muito agradecido e abençoado por poder tocar para as pessoas. A música me deu a visão que eu precisei a minha vida toda. Com música, eu pude fazer mais do que poderia, fazer tudo que queria, como qualquer outra pessoa. A música me deu a força para melhorar minha vida, e hoje posso também ajudar quem passa por algo parecido, que enfrenta a cegueira. Ao recuperar parte da minha visão, talvez eu tenha recuperado um sentimento de poder fazer ainda mais”, disse na ocasião, em entrevista à People Magazine.

O nistagmo é definido pela Academia Americana de Oftalmologia como “uma condição em que os olhos se movem de forma rápida e incontrolável”, caracterizada por movimentos lado a lado, para cima e para baixo ou em círculo.

A organização sem fins lucrativos Nystagmus Network estima que uma a cada mil pessoas tenha a doença em todo o mundo. 

Os principais sintomas, além do movimento rápido dos olhos, incluem:

• Sensibilidade à luz
• Tontura
• Dificuldade de enxergar no escuro
• Problemas de visão
• Permanência da cabeça em posição virada ou inclinada (o que facilita a visão)
• Sensação de que o chão está tremendo

A Nystagmus Network explica que a doença é causada pelo funcionamento anormal da parte do cérebro ou do ouvido interno que regula o movimento e o posicionamento dos olhos.

A doença pode ser congênita, ou seja, diagnosticada logo nos primeiros meses de vida e sem que os médicos saibam a causa, ou adquirida, quando surge ao longo da vida devido a condições médicas (AVC, esclerose múltipla, traumatismo craniano etc.) ou ao uso de drogas e álcool, segundo a Academia Americana de Oftalmologia.

A Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, destaca que o nistagmo pode durar segundos ou ser permanente.

“Os médicos podem notar nistagmo em uma pessoa que está sendo avaliada por tontura, vertigem e outros problemas de equilíbrio que afetam o ouvido interno.”

O médico pode solicitar exames de imagem, como ressonância magnética do cérebro, e de sangue, para descartar outras causas.

O tratamento para casos de congênitos não tem capacidade de curar o nistagmo, mas envolve o uso de óculos e lentes de contato que vão melhorar a capacidade de visão do paciente — o cantor do Black Eyed Peas também revelou ter miopia, condição que dificulta enxergar de longe.

“Raramente a cirurgia pode ser feita para reposicionar os músculos oculares que movem os olhos. Isso evita que a cabeça precise girar tanto para impedir que os olhos se movam. No entanto, a cirurgia não corrige ou cura o nistagmo, apenas permite que alguém mantenha a cabeça em uma posição mais confortável para limitar o movimento dos olhos”, completa a Academia Americana de Oftalmologia.

Fonte: R7

Veja Também

SP: polícia busca suspeito de assassinar estudante da Unicamp

O corpo da vítima foi encontrado em uma ribanceira com pedras. Mayara tinha ferimentos de faca no braço, mão, tórax e cabeça

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.