Home / Destaque / Dentro de carro, hipster da Federal atirou com submetralhadora no dia da morte, diz delegado

Dentro de carro, hipster da Federal atirou com submetralhadora no dia da morte, diz delegado

O agente da Polícia Federal Lucas Valença, conhecido como hipster da Federal, atirou com uma submetralhadora de dentro de um carro no dia em que morreu. A informação consta no inquérito da Polícia Civil de Goiás que investigou a morte do rapaz, vítima de um disparo de arma de fogo após invadir uma fazenda em Buritinópolis, no interior de Goiás, em 2 de março último.

O dono da propriedade rural disparou contra Valença depois de ter sido ameaçado por ele. A investigação concluiu pelo indiciamento do autor do tiro por posse ilegal de arma de fogo, mas descartou homicídio. A apuração concluiu que ele agiu em legítima defesa.

Mudança de comportamento

De acordo com o inquérito, Valença morava em Brasília e havia viajado com amigos e familiares para a zona rural de Buritinópolis, tendo se instalado em chalés da região de Santa Rita. “Dizem que ele chegou muito bem, chegou alegre, ia ser o melhor final de semana da vida dele”, relatou o delegado Alex Rodrigues, responsável pelo caso.

“Em determinado momento, ele se estressou com o cachorro que ele tinha levado, se estranhou com outro cachorro da família e teve uma reação desproporcional. Depois disso, começou a apresentar um comportamento melancólico, depressivo, e só foi piorando”, acrescentou o investigador.

Cortejo para sepultamento de Lucas Valença, o hipster da Federal

Cortejo para sepultamento de Lucas Valença, o hipster da Federal

JÉSSICA MOURA/R7

Como Lucas estava nervoso e alterado, uma médica amiga dele, que acompanhava o grupo, lhe deu um remédio para que se acalmasse. Rodrigues ressaltou que, “durante a noite, essa agressividade dele foi piorando, não chegou a ter agressão física contra o padrasto, mas danificou todo o imóvel, falando palavras e frases desconexas”.

Receosos de lidar com um agente da PF nessas condições, a família decidiu pedir ajuda a colegas dele na corporação. Os policiais foram até a cidade goiana e colocaram Valença em um carro para levá-lo de volta a Brasília. Segundo a Polícia Civil de Goiás, o objetivo dos parentes era internar o agente em uma clínica psiquiátrica.

Fonte: R7

Veja Também

EMPREGOS JARINU E REGIÃO

EMPREGOS JARINU E REGIÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.